Lápis de Cor Aquarelável – Como usar?

7 Flares 7 Flares ×

Oi pessoal, já estamos em 2015 e nada mais legal que começar o ano já produzindo e criativa, não é mesmo? Beleuza, botei a preguiça das férias de lado e fiz um tutorial sobre lápis de cor aquarelável como uma mocinha no instagram me pediu 🙂

EU, Ana Blue, não curto muito lápis aquarelável porque não combina com meu processo criativo e não tenho paciência! hihihi

Passei tudo o que aprendi na época de cursos + faculdade + experiência tentando e arriscando 😉

Vem!

Eu não sei se a Faber Castell ainda vende, mas tem 2 tipos de lápis aquarelável deles.

1) A linha ECO: eu acho mais seca, a ponta quebra bem mais e as cores não se misturam tão facilmente e tem uma textura meio encerada. O pigmento fica grudado na superfície do papel e nem com a água fica fácil de misturar. Quanto mais você cutuca, mais papel esfarela (tá, nem tanto, mas sai). Odeio.

IMG_6233

2) A linha “não-eco”: Eu falo que essa linha é uma linha mais “oleosa”, porque o pigmento desliza melhor na folha, é mais fácil para fazer a mistura das cores e é uma delícia de usar! ♥ Adoro.

IMG_6227

Bom, pra começo de conversa…

Eu conheço 2 maneiras de pintar na folha:

– Da forma reta (movimentos de sobe e desce) e da forma de bolinha (movimentos redondinhos). Isso eu vi na prática. Cada um escolhe a maneira que achar melhor. 😉

Texturas:

– Para aquarelar, recomendo que a gramatura seja de 300g/m pra cima e que a folha tenha textura (além de ser uma delícia de se trabalhar, as mina pira aqui *-*)

Sobre as texturas, as únicas folhas que tenho aqui são de 180g/m (vão ondular bastante pra aquarelar) e a Canson de 300g/m que sempre uso para aquarelar as do TCC; logo abaixo, uma amostra de como a aquarela fica sobre as folhas texturadas:

IMG_6224

IMG_6266

IMG_6267

IMG_6265

IMG_6264

~ 3, 2, 1…

Para aquarelar, fazemos o seguinte:

Sempre que for pintar a folha com o lápis, faça de forma e com a pressão leve (permita-se sentir a textura do papel enquanto pinta ♥).

IMG_6232

Para passar a água no pincel, não precisa encharcá-lo, pode ser pouco também, depende da intensidade desejada (em breve falo disso). Na imagem abaixo, mostro o teste com o lápis “não-eco”, que eu chamo de “aquarela oleosa” e as formas de pintar, para observar a diferença. Perceba que o reto as vezes fica muito marcado e a bolinha preenche melhor.IMG_6230

O mesmo serve com o lápis eco. Mas, observe a diferença, abaixo:

IMG_6235IMG_6238

Por mais que passe a água, o pigmento continua no mesmo local ¬¬

Técnica – Como colorir:

IMG_6241
Passe o lápis na folha de forma leve, com que você sinta a textura do papel, como dito anteriormente. Não precisa também fazer muita pressão.
IMG_6242
Essa é a camada de tom claro a ser colorida. Passando a água sobre essa camada, espalhe bem o pigmento.
IMG_6243
Caso queira, depois de ter terminado de espalhar o pigmento, você também pode pegar mais água no pincel e puxar a tinta que ainda tem, logo, aos poucos esse pedaço que você puxou com a água será mais claro que a outra parte porque você adicionou mais água para pouco pigmento, logo terá um degradê (do escuro pro claro).

Para uma camada mais escura…

IMG_6244
Sobre uma camada lisa do papel que você não tenha pintado, faça o seguinte: Pinte uma 1ª camada normalmente como mostrado acima. Logo em seguida, pinte novamente em cima dessa camada seca (não precisa fazer muita pressão). Sempre que quiser escurecer, faça assim.
IMG_6245
Logo que passar a água: o lado mais escuro ficará concentrado e o lado mais claro, óbvio, ficará mais claro, porque tem pouco pigmento comparado com o outro lado. Há a possibilidade também, de você arrastar um pouco da água com o pigmento escuro para o lado claro.. Tente e veja o que acontece para entender. Caso seja o que você queria que acontecesse, você o escurece.
IMG_6246
Aqui, foi sobre o que mencionei sobre ter mais água no pincel (e arrastar a tinta para o degradê claro) e deixar mais escuro (tendo menos água no pincel e espalhando). Aquarela é a mesma ideia do Photoshop: tudo funciona por camadas.

Como pintar uma ilustração (movimentos verticais):

IMG_6247
Encontrei umas ilustrações prontas de croquis da época da faculdade, mais especificamente do 3º semestre.. Peguei elas mesmo para poder mostrar dentro da figura humana. Bom, faça a 1ª camada inteira com uma cor só.
IMG_6248
Nos locais que você sabe que terá sombra, faça a 2ª camada novamente deixando mais escuro e subindo em tons degradê para a região que se encontra o claro.
IMG_6249
Certifique-se que o contorno da caneta nanquim que você vai usar NÃO mancha com o uso da aquarela (foi o caso dessa ilustra). Muitas canetas nanquim, como MICRON SAKURA e STAEDLER NÃO mancham. Agora, o NANQUIM DA TALENS, que você usa com bico de pena também NÃO MANCHA. //
IMG_6250
Voltando à aquarela: molhe o pincel (não precisa encharcar) e vá puxando a tinta aos poucos e deixando de forma homogênea, sempre do claro pro escuro e deixe secar. 🙂

Como pintar uma ilustração (movimentos circulares):

IMG_6251
Croqui de faculdade zoiudinho, mas continue com a pintura da 1ª camada homogênea!
IMG_6252
Esse exemplo, estou fazendo com a versão ECO da Faber Castell, para vocês notarem a diferença. A 2ª camada é da sombra: faça apenas onde não tem luz e siga em degradê onde tem luz! 🙂
IMG_6253
Comece a passar o pincel com água (não precisa encharcar!) do claro para o escuro! 😉
IMG_6254
E o croqui zoiudinho tá completinho! hehe

~ Qual versão da Faber vocês preferem? ~

A seguir, vão outras dicas de outras ilustrações que pintei SEM passar a água (há essa opção também de não querer passar a água na aquarela, já que o lápis aquarelável tem uma textura diferente do lápis comum – junto com a textura do papel!) :

IMG_6255 IMG_6257

IMG_6256

IMG_6259

IMG_6258
Neste aqui, o legal para ajudar na paciência e na técnica, é usar o lápis deitado 😉 A parte clara fica mais fácil de fazer! A inclinação do lápis até o 90º ajuda no nível de luz e sombra que você deseja chegar 🙂
IMG_6260
O legal neste caso é brincar com o lápis em outras superfícies! Este é um papel sulfite, só que é preto 🙂 Dá pra brincar mais com as cores claras. Papel Kraft (o papel bege) também dá. A partir daí é só ir experimentando o que der na mente! 🙂
IMG_6261
Lembrando aqui que o LÁPIS NA COR BRANCA, serve como em qualquer outra paleta de cores: serve para clarear a cor! 😉

Aí pessoal 🙂

Espero que o tutorial tenha sido útil! Tenha esclarecido dúvidas e que vocês possam experimentar mais sem medo!

Se ficar feio? Faça de novo e de novo e de novo. Até se entender com a técnica, como os materiais reagem na folha e o que mais vocês podem fazer com eles! 😉

Beijos e bom 2015.

Ana Blue 😉

7 Comment

  1. melhore conteudo que encontrei!
    Obrigadaa

  2. muito legal e incrível eu amei

  3. ADOREI SEU TUTORIAL MOÇA! OBRIGADA! :DD

    1. Que bom <3
      Obrigada!
      Fico feliz que a tenha ajudado! ♥

  4. […] Aqualine/Ecoline. A técnica de aquarela em si, eu tive. É a mesma base de como expliquei no tutorial de lápis aquarelável, paciência, veladuras, fazer tudo em camada. *Só que, Aquarela Líquida, tem um level mais hard: […]

  5. Gostei do tutorial 🙂 normalmente em faço um godê, para usar lápis aquareláveis assim os traços não ficam marcados 😉 Também amo usar papel com textura <3 e queria saber se você poderia fazer um tutorial de bico de pena. Amo seus desenhos!

    1. é, tem a opção do godê também.. Como eu não uso eu nem lembrei!
      Papel com textura é PER-FEI-TO. Ana Blue fica des-ma-ia-da! hehehehe
      É meeeessmoo, nem lembrei do bico de pena :))))) Bem pensado! Faço sim. Esses dias achei uma apostila ensinando a mexer 🙂
      Belezaa, me organizarei e faço sim! Obrigada! ♥

Deixe uma resposta

CommentLuv badge