0 Flares 0 Flares ×

12063991_924527307621433_79527033_n

 O Medo de Estar Sozinha

s.f. Estado de quem está só, retirado do mundo; isolamento: os encantos da solidão.
Ermo, lugar despovoado e não frequentado pelas pessoas: retirar-se na solidão.
Isolamento moral, interiorização: a solidão do espírito.

“Para alguns,  a solidão vem de um estar-sozinho tangível. Estar fisicamente só provoca uma sensação de solidão. Para outros, porém, a solidão nasce quando você se sente sozinho apesar de estar acompanhado.” Letícia Lima na Amarello

Desde pequena gostava da solidão. Preferia ficar em casa desenhando do que sair com os amigos. Me permitir esquecer da vida. Gostava de expressar o que sentia pelas formas, pelas cores, pelas texturas. Na falta de pessoas te agradarem, você se agrada desenhando, exercitando a mente. Tentar entender algo totalmente subliminar não é lá muito fácil. Já tentou? Você e seu inconsciente conversando não-verbalmente.

~

Desde adolescente sempre me agarrava ao máximo em pessoas para não ficar sozinha. Quem acompanha o blog há anos, sabe que sempre tive poucos amigos, poucas pessoas que me ouviam, poucas pessoas que conversavam comigo, poucas pessoas que tinham o mesmo papo que eu… Eu não gostava do que as pessoas faziam, falavam ou curtiam. Nem por isso, me sentia obrigada a gostar de tudo o que elas gostavam para não me sentir sozinha. Todas as minhas amizades tinham um prazo de validade. Ou era um amigo saindo da cidade para morar em outra, ou era troca de sala e perdia contato ou a má sorte aparecia para brincar comigo… Se era pra ser assim, que assim seja. Eu tinha mania de querer sempre alguém para fazer coisas comigo. Ainda sinto que preciso. Exercito há anos, para mudar esse tipo de pensamento.

22310_738471816275059_518014414284157863_n

Digamos que a vida existe para te despir. Não é status, roupa da tendência ou qualquer outra coisa que ela quer. Ela quer ação. “Vai lá e se vira.” Ela exige de você diariamente. “Dê o seu melhor.” E você se desdobra para acreditar em si, você se desdobra para alcançar o seu gran finale, você se desdobra tanto sozinho quanto acompanhado. Quando o bicho pega, você, mesmo sozinho, consegue sim agir, mesmo que no impulso. Ou seja, sozinhos, nós conseguimos sim nos virar. Conseguimos sim sobreviver. O ser humano evita tanto a solidão…

11046686_738319219623652_8924978209881469016_n

“A companhia nos oferece a maravilha da alegria quando uma presença torna ensolarado o dia chuvoso e nos ensina a amar o outro. A solidão nos oferece a maravilha da serenidade que vê este mundo com olhos de além e nos ensina a amar nós mesmos. Os dois amores nos ensinam o amor da Vida Infinita pelos seres finitos.

A companhia é um bem. A solidão é um bem. O melhor e usufruirmos às vezes de um, às vezes do outro. Só assim saberemos quem somos, e só em quem somos encontraremos a inexplicável felicidade.” Por Gustavo Pinto na Amarello.

O que ando querendo dizer, o que ando sentindo há um tempo (e fugindo, senhor inconsciente gritou para mim) é exercitar essa coisa da solidão. Ficar só, não vai te tornar infeliz. Você não precisa de ninguém mais para ser ou estar feliz. Você não precisa buscar incansavelmente por alguém para “te ajudar” a ser feliz. Você pode e deve estar e ser feliz consigo. Contanto que faça coisas que te fazem feliz, já é um começo. ♥ O risco que corre de ir atrás de pessoas para esta finalidade, é encontrar e preencher por apenas um tempo; não te trazer essa felicidade. E e no final? Bom… No fim, se esborrachar. No fim, levar um tempo para re-assimilar tudo o que viveu/quer viver/quer deixar de viver. Acredito que na hora certa, alguém possa aparecer para dar uma cor à mais na sua vida que já há cores. Mas não adianta mais forçar a barra, ou melhor, forçar esse momento da vida à encontrar alguém. Ficar brincando de colecionar expectativas e pé na bunda gratuitamente também já deu.

“Nascemos e morremos sozinhos. A capacidade de estar só, e de suportar a solidão, depende das boas experiências que tivemos. Pois, de alguma forma, nos apoiamos nessas memórias para suportar o desamparo de estar só. As experiências ruins voltam quando estamos sem ninguém, e as combatemos com nossas companhias internas, as boas lembranças. As mídias sociais são a síntese do nosso tempo. Estamos constantemente em contato com pessoas, personas e personagens. Estamos, mas não estamos. Gostamos, mas não gostamos. Lemos, mas não lemos. O excesso de contato e informação transborda nossa mente e a leva para outro lugar. Estamos gritando desesperadamente para sermos observados, sentindo-nos muito solitários, mesmo com a quantidade de acesso e proximidade que a internet nos proporciona. O que torna a solidão insuportável é acharmos que sozinhos não somos ninguém. Como se diz, nenhum homem é uma ilha, mas a pior solidão é aquela de quando estamos acompanhados. Por Tomás Biagi Carvalho.”

22310_738471816275059_518014414284157863_n

Acho que a edição nº 21 da Revista Amarello: Solidão era a resposta final do que eu precisava ouvir (ler). Para quem não encontrar nas bancas da sua cidade, você pode comprar aqui ó. Não é um publipost, é um desabafo e uma recomendação mesmo. Quando o blog passar a trabalhar com i$$o, pode deixar que haverá um post somente disso.

“Fuja dos que te privam da solidão sem te fazer, em troca, qualquer companhia. Por Ananda Rubstein no Amarello.

Ana Blue

1 Comment

  1. […] Eu queria comprar um monte de coisa Mas comprei as revistas que estava namorando faz um tempo… A Amarello, já andei falando dela por aqui ó. […]

Deixe uma resposta

CommentLuv badge