Sensibilidade à flor da pele

0 Flares 0 Flares ×

Há um bom tempo eu vejo percebendo que desde que baixei o cd Pitanga, da Mallu Magalhães tento viver a vida mais de leve.

O que surgiu como consequência de sentir que fui modificada. Me sinto mais sensível a certo tipo de coisas, à arte – consigo ver coisas bonitas em locais, objetos que ninguém vê. Muitas vezes acabo transparecendo ser irônica para as pessoas sendo que naquela hora não estou sendo; ao dia a dia – por mais que na época de entrega de trabalhos eu estava meio estressada como de costume, minha mente se encontrava em outro lugar, sempre prestando atenção no pôr do sol e imaginando coisas que me fazem bem que tem a ver com o sol, que sem o sol eu não conseguiria ser uma pessoa melhor, com humor, com cor na vida. É como se eu fosse uma pessoa que morasse em Londres. Lá é de vez em quase nunca que tem sol como tem aqui. Como seria viver lá, sendo a mesma pessoa, mas com sensação de humor diferentes das daqui, etc.. ; as situações ao meu redor, etc.

Daí aos poucos, escutando músicas de Neon Indian, Coldplay, I Break Horses, Unicorn Kid, Grimes, Ellie Goulding, Sleep Party People e agora que sem querer eu encontrei o Sigur Rós (Rosa da Vitória), uma banda islandesa, em que, como disse uma resenha que lí:

“O som é cinematográfico, e as interpretações são tão abertas, que a música acessa suas memórias pessoais, seu repertório cultural de filmes, livros, eventos e paisagens, e forma uma imagem mental completamente subjetiva. A mesma canção da banda que pode parecer triste e lembrar a pobreza, a desolação, a morte, para um, pode evocar o triunfo, o fantástico, o mágico, perante os ouvidos de outro fã”. fonte

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=wfJVAoTE2PI]

Para cada um que lê isso, pode parecer ridículo, superficial ou fazer todo o sentido.

Penso que, a cada ciclo final da vida você tromba “sem querer” com determinadas músicas que farão a trilha sonora da sua vida e a marcará de um jeito. Acredito em destino e creio que o destino que faça isso. Meio que as músicas que você escolhe ouvir na sua vida a fazem refletir para o que tá acontecendo. E que de alguma forma, talvez, essa música para o seu inconsciente possa trazer forças para você poder continuar…

Ou para encontrar inspiração para as coisas que você faz.

Tá fazendo sentido o por quê dessa minha paixão por fotografias subaquáticas… A paz, a solidão e a sensibilidade que se encontram sob a água, com uma combinação de cores e movimentos e objetos é tudo o que eu busco numa fotografia para se inspirar e apreciar.

Até o blog mudou. Se pegar o blog antigo que o 9dades a solta era quando começou, do meio a agora, ele tá numa vibe totalmente diferente… EU estou nessa vibe. O blog é uma maneira diferente para eu me espelhar. Para me soltar…

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=QURYRk1_UTE]

Vale a pena dar uma olhada e pesquisada nessa banda. Mais coisas dela aqui.

Qualquer coisa, passei vários vídeos deles para o meu Tumblr. (vídeo do Sleep Party People também – apesar que os vídeos deles eu acho que marcou mais para um pedaço de uns sentimentos ruins que estava passando na minha vida.. não recomendo escutar se você está de bom humor ou de bem com a vida.. Vai que “estraga”.)

E, pensando, o tumblr também me apareceu na hora certa: estava com dificuldade de me expressar por palavras e na comunicação em geral. O tumblr veio a calhar na hora certa. É como se fosse um diário do inconsciente me ajudando a botar as coisas pra fora com imagens perdidas por aí de hoje em dia.

Ana

Deixe uma resposta

CommentLuv badge