Você é o que compartilha: Iris Apfel

0 Flares 0 Flares ×

Dessa vez não vou indicar links que acessei durante a semana. Mas sim, um documentário que estava de olho há algumas semanas… ♥

E claro, sempre que leio ou assisto algo, há sempre uma caneta ou papel por perto. E não podia deixar de compartilhar minhas ideias aqui no blog. Não tem spoiler, é mais um bate papo cabeça mesmo…

O que significa o ato de se vestir para você?

Vestir não é glamour. Não é vestir.

5o sketchboook

É compôr. É uma brincadeira da curiosidade em forma do looping eterno do ato de compôr. Criar composições.

É ter a possibilidade de ‘ser’ todas as referências e não vestir. É encarnar uma referência.

E, de certo modo, até criar uma ‘persona’. Um alter ego? Um personagem?

 

É totalmente envolvimento e processo. ~ Iris

O corpo, querendo ou não, serve como um manequim que carrega as roupas no ser humano.

Dando um geral por nosso mundo: todos os blogs de moda focam em quê?

  • “X maneiras para causar na balada com as amigas”: Quero causar;
  • “Y maneiras para arrasar no primeiro encontro”: Quero arrasar;
  • “Z maneiras para ser glamourosa”: Vou ser glamourosa;

A graça do vestir nunca foi essa, foi?

Desde quando você precisa dar satisfação pros outros?

Você se veste para os outros?

E sua vontade de ser feliz, ein?

6 sketchbook

O vestir é mais legal e divertido quando carrega:

  • ideias
  • culturas
  • memórias
  • arte

Não só marca. E claro, lembrando também o ponto de vista estético e técnico da área da moda (modelagem, caimento, cores, estampas, tecidos, texturas, composição, sobreposições, etc)

E quem é Iris Apfel?

Além de ser uma virginiana excêntrica, nascida no mesmo dia do Michael Jackson ( 😮 ) que também era excêntrico.. Ambos tinham muito conhecimento de história da arte, um senso de estética apurado, também carregavam memórias de cada fase de suas vidas. ♥ E faziam isso pela roupa usada no corpo.

Roupa é arte. Além da proteção contra frio e outras funcionalidades, a roupa aqui é vista como expressão de uma personalidade para/do ser humano.

10-justina-blakeney-700x509

E outro fator: Para muitos, que não pensam assim, há outra forma de ver:

  • como interpretar diariamente uma persona (Olá, David Bowie!)

O que são roupas? O que a junção: ser humano x vestimentas podem trazer? Só porque não estou seguindo nenhuma tendência ou usar tudo junto e misturado, serei considerada ‘louca’?

Pessoas que possuem uma visão diferente de ver, viver e absorver o mundo (além das experiências), terão um olhar diferente para se vestir.

E o que é “se vestir dentro de um padrão imposto?”

E daí eu me pergunto:

  1. Você se veste para quem?
  2. Por que você se veste?
  3. Você se veste da forma que veste, porque é feliz com o que você é?
  4. Você se importa com a opinião alheia?

Ela usa todas as suas roupas e acessórios para compor uma nova visão. Isso para mim é criatividade. ~ Harold Koda – Curador do MMA

Já pararam para pensar que “Criar um estilo próprio” consiste em juntar várias ideias, várias referências diferentes, se inspirar dentro de tudo isso, encontrar uma nova visão dentro e criar a sua ideia final? Tudo aquilo que faz um sentido total somente à você? Isso também serve para a arte de ilustrar. Encontrar o seu traço final, é se encontrar no meio de todas essas referências e gostos. Usá-las e compor.

Carregar todas as suas inspirações como uma “persona ambulante”, é querer ‘guardar para si, todas as suas referências pessoais, é expôr sua personalidade, para não ter que prendê-las dentro de armário ou caixas’.

Por que não deixá-las voar?

Por que não, vesti-las?

Ou melhor….

Por que não ser tudo isto?

11

Acumuladora?

Ter faz bem para o ego?

Juntar bens materiais com o tempo, faz bem…

  • te inspiram
  • trás memórias

Mas continuam acumulando infinitamente.

Ou você consegue controlar essa mania de acumular… ou você se perde no meio de tanta memória física.

Como controlar suas memórias? Prender em caixas seria a solução? Por que não exibir? Por que não encarnar?

As coisas loucas que faço agora que são muito mais divertidas. ~ Iris

Ok. De tudo isso eu te pergunto: O que te move? 😉

A vida é cinza e sem graça, então é legal a gente se divertir quando se veste e divertir as pessoas” ~ Iris

Depois que ela mencionou isso eu comecei a me questionar como eu via a moda. Sempre gostei dela (a moda) pelo fato de ser um mecanismo para auxiliar na expressão. Às pessoas que me conhecem: sempre que estou totalmente colorida é porque estou feliz. E quando estou sem cor, é porque algo está errado. Sempre me expressei pelas cores, elas incentivam, faz o mundo ficar melhor, me dá vontade de criar e não parar mais. E muita coisa do que vi a Iris falando, deu vontade de abraçá-la, porque me identifiquei muito! ♥

Para Iris, o que torna tudo interessante por trás de tudo é a curiosidade, contexto histórico e o mais importante: Isso te faz feliz? 🙂

A minha tia não consegue relaxar e eu acho que isso é um defeito […] mas não faz parte da personalidade dela, ela até disse que quando não está ocupada, ela pode ficar deprimida. […] Ela precisa estar constantemente criando. ~ sobrinho de Iris

Depois dessa, eu levei um tapa na cara. Lembrei de quando uma das minhas amigas da faculdade veio me dizer “Nossa Ana, mas mal terminou TCC você não descansou e não para de criar”………………….he he………………… Isso também me fez lembrar do post em que eu falava sobre criatividade, esse aqui ó.

E pra terminar, só mais uma citação da fofa da Iris:

Você fica mais interessante por desenvolver coisas, não é somente ser bonitinha. Eu não gosto do conceito de bonito. A maioria do mundo não concorda comigo, mas não me importo. ~ Iris.

Porque a moda bomba tanto?

Porque a moda mexe tanto com a cabeça de todos?

 

Porque todo mundo quer ser e ter.

Dá pra montar um lista com várias frases…

  1. “Toda pessoa quer ser…………”
  2. “Toda pessoa quer ter………….”

 

Assistam.

Quero saber a opinião de vocês, com base no documentário.

Ana Blue ♥

2 Comment

  1. Ahhh, quero muito ver esse documentário também! engraçado como a moda é tão importante na vida das pessoas, mas ao mesmo tempo é tão incompreendida e mal julgada. As pessoas não percebem que roupas são muito mais do que simplesmente “tecidos sobre corpos”…e independente de a pessoa ter consciência do que está vestindo ou não. por que tem gente que só atribui valor quando faz o tal do “uso consciente”…mas o valor está ali, mesmo a pessoa sabendo ou não o que está fazendo, né… Mas mudando de assunto, na verdade, sobre essa questão da expressão pela cor, que tu menciona, todo mundo faz inconscientemente, por que as cores fazem isso, ela têm esse poder de agir no nosso inconsciente, né..
    Concordo com ela também sobre não gostar do conceito de beleza. Pra mim, esse conceito que a sociedade tem hoje é bem deturpado e, pior ainda, é muito restrito. Ele é muito exclusivo (no sentido de excluir o que é tido como “feio” mas que também pode ser bonito através de um novo olhar….) :/ Mas, enfim, sobre a questão do porque as pessoas consumir moda, acho que muito mais do que simplesmente querer ser/ter, é fazer parte da sociedade, fazer parte do grande grupo, né?!…. ainda vou ver esse documentário T_T

    1. Veja!
      É ideal pra desfragmentar uns papos ai da vida e repensar. Adoro esse tipo de coisa…
      Tive oportunidade de conhecer pessoas que só dão valor à roupa por conta da marca que vem junto.. 🙁 acho que foi o pior tipo de pessoa que pude conhecer, porque não existia nada de bom dentro daquele cérebro de merda. Nem desconstruir tinha jeito…
      Cor, uma palavrinha tão curta mas tão complexa. Acho isso incrível.
      O conceito da beleza e do feio pra mim, anda mexendo muito comigo dentro da minha expressão na arte. Ainda não cheguei em uma conclusão.
      Um dia, chego.
      🙂

Deixe uma resposta

CommentLuv badge