Inspiração: uma palavrinha que todo mundo distorce

1 Flares 1 Flares ×

Estava eu esses dias ai baixando umas musiquinhas novas (época de TCC eu faço TUDO com música, mesmo ouvindo tudo no aleatório, já ouvi minha playlist inteira ahhahaha) e trombei com uma música linda da Lindsey Stirling ♥ Há um tempinho ando ouvindo bastante músicas mais clássicas: violino, piano e assim vai. Gosto bastante de ter uma mistura de clássico com músicas mais contemporâneas, acho muito legal como há a possibilidade de haver essa mistura… 🙂

Dai, achei válido criar esse post mais para o pessoal parar um pouco e tentar desfragmentar suas ideias e ver a coisa de um outro modo, é meio complexo de entender o que é ‘inspirar’… E o clipe da Lindsey acho que vai servir para dar esse help.. ^^

O termo inspirar, mais voltado pra arte, significa de acordo com o Dicionário:

2- Infundir sentimento, emoção,estado de espírito.
3- Impressionar muito, despertando em alguém vontade de
criar ou realizar algo.
4- Sofrer influência ou seguir o exemplo de alguém, para
realizar algo.

Beleza. Resumindo… Inspirar não é copiar. Eu já digo isso, porque o pessoal adora generalizar. 🙁 Ou usar como desculpa ~que feio!~ para algo que fez. E migos, não é bem assim que a banda toca….

E copiar, é o que?

1.Fazer cópia
2. Reproduzir uma obra
3. Produzir algo muito similar ou idêntico, imitar

Logo amiguinhos… Inspirar não é copiar! ~ só pra confirmar hehe…

Dentro do Design, na arte, no geral precisamos de algo para nos incentivar a criar…

E o que podemos fazer pra essa ‘vontade’ aparecer? Se inspirar em algo!

E como fazer? Tu conhece o pinterest? O tumblr? 😀 São as MELHORES ferramentas para isso. Nesse caso, eu acho mesmo melhor o Pinterest porque você pode organizar nas categorias certinhas.. O tumblr fica meio bagunçadinho né (eu gosto dele, porque pra mim, ele é mais ‘temporal’, representa melhor o meu estado de espírito, algo que não precisa necessariamente de Categorias)?

Ok. Nós, pessoas criativas, precisamos criar “painéis de inspiração” (esse é o nome comum, digamos), o nome técnico para isso é “painel semântico”. Para qualquer projeto precisamos criá-lo. A ideia final nunca surge do nada nem do além (ia ser bom ein haha), por isso que o processo criativo é longo, demora para se formular… E por isso tem nosso custo e valor, viu? ~Não reclame: “Nossa, que caro!” ¬¬

Com ele, baseado em uma ideia inicial (um conceito), você irá buscar TODAS as imagens (formas, cores, texturas, sensações, etc) que te remetam a ideia do conceito que você precisa. Para criar o logotipo do meu tcc eu fiz isso. Vem cá ver a bagunça que é, colocar tudo pra fora ó:

fdc741f5a47e2b05fd009cb69e07c62c

 

Baseado nesse painel inteiro eu vou anotar/observar que tipos de formas/cores/ideias aparecem mais. O resultado final pode ser simples vindo apenas de um elemento mais marcante para você, como também pode aparecer de algo que você nunca imaginou que ia vir… No meu caso, como minhas estampas do tcc andam MUITO floridas, é um elemento totalmente feminino, a flor que andou mais se repetindo tanto aqui no painel quanto no processo criativo geral (das estampas e no meu pessoal, lá do sketchbook) o ícone que representa o meu logotipo é a Jasmin, mas não é só a flor aberta e prontocabou, não.. É a Jasmin desabrochando. Porque passa a ideia de “um desabrochar da criatividade”. 🙂 Enquanto você vive um processo de amadurecimento para desabrochar é aos poucos…. O conceito inicial é esse. Para chegar na escolha da tipografia para o logotipo (logo = desenho/ tipo= letra -> logo, “desenho de letra”, NUNCA logomarca pelamordedeus, senão fica ‘logo-desenho/marca-desenho……. sentido, cadê?), dentro desse meu painel tem uma ideia de leveza, logo, eu usei um lettering que eu mesma já tinha feito em um dos meus testes do sketchbook com pincel e tinha ficado com aparência de leve. 🙂

Resumidamente, me baseando no meu TCC deu pra ver e entender o que seria “se inspirar?”

Eu não gosto muito como esse termo é usado dentro da Moda, porque, na maior parte dos blogs de moda, é algo tão mal explicado superficialmente que os painéis de inspiração vem MUITO mastigado e não tem no que se inspirar. O máximo é criarem um look inspirado no estilo Boho, por exemplo… Mas não são só 5 peças de roupa que podem representar esse estilo/sensação/’personagem’.. É complicado isso. Logo, generalizam. Logo, vem o papo “eu me inspirei na fulana”.. Ai quando você vai ver, a pessoa ~ copiou ~ …. Em ilustração acontece bastante isso. Dai meu amado termo “Inspiração” se torna uma desculpa. 🙁

Voltando à Lindsey Stirling para o meu outro exemplo…

Quem conhece Michael Jackson, sabe que ele é autor de Thriller né? Quem é novinho e tá perdido no bapho, vê o clipe aqui ó. Pois então. Lindsey se inspirou no conceito incial: a vibe do Thriller. Ela copiou? Não. Lembrem-se: para ter uma obra copiada tem que ser 100%, todos os elementos literalmente copiados… Como Austin Kleon (Roube como um Artista) iria dizer, “ela se apropriou da ideia/pegou a ideia principal emprestada” e fez o quê? Fez uma releitura, transformou aquilo em algo melhor, em algo contemporâneo, algo original.

Agora vem cá responder o jogo dos erros comigo:

  1. O Michael Jackson tocava violino e saia que nem louco atacando os zumbis? Não.
  2. O Michael Jackson tinha dois amigos saindo com ele do cinema? Não.
  3. O Michael Jackson dançava exatamente essa coreografia? Não.
  4. Os zumbis perderam algum braço pelo caminho? Não…. hahahaha ~ essa foi boa ein.
  5. Os zumbis tão bem mais vivos que os zumbis do Michael Jackson né? Siim! hahaha ~~ Os do MJ estavam um pouco mais mortinhos né? 😛

Conseguiram entender melhor a ideia do que é se inspirar? 🙂

#Dica De Ouro da Ana Blue:

Pendendo para o lado da inspiração dentro de ilustração funciona assim:

* Você ai que tá atrás de um traço seu ~> vai pegar todos os ilustradores/artistas que tu gosta > observe como ele trabalha com a técnica > use essa técnica na sua arte (desenhe o que você gosta, do seu jeito, não encuca) e veja se conversa com o que você faz e veja se você gosta. Veja se há um ‘diálogo’ com o que você fazia antes juntando o que fez agora. Não gostou? Testa outra. Gostou? O que você pode fazer para melhorar e deixar do jeito que você gosta? :)*

Pra quem me segue pelo instagram e vê o que ando aprontando com os estudos das minhas artes, já reparou que ando numa vibe de ‘só traçado de nanquim e uma cor explodindo em algum canto, mas sem preencher tudo’… A ilustração do avatar do Massaroka foi um estudo com esse tipo de técnica que usei nanquim+bico de pena/aqualine e paciência! haha, aqui ó. Estou estudando a técnica da artista Izziyana Suhaimi (ela faz uso da caneta nanquim + aquarela + bordado). E por enquanto estou gostando do resultado e ainda assim, fazendo mais estudos de releitura para ver se chego em algum resultado mais diferente do que imagino. E é assim que funciona ir atrás de um traço: misturar técnicas e tentativas que você já conheço com a de algum artista que você gosta. Porque querendo ou não esse artista também tem outras referências, podendo incluir até as mesmas que as suas, já reparou? 🙂

~> Se tiverem dúvidas, BERRA AI NOS COMENTÁRIOS MIGOS! ♥

Ana Blue

13 Comment

  1. Realmente inspiração , copia e plagio estão quase na mesma linha precisa se de muita atenção para não confundir uma com a outra ainda mais no tempo de hoje com tanta coisa sendo feito as pressas . Parabéns pelo blog pelo artigo sucesso sempre

  2. Thriler como amo de paixão. Seu artigo é muito criativo muito perfeito hehe… Amei! Bjinhos.

  3. Excelente artigo, na minha opinião a musica precisa ser criativa e pode ser clássica ou inovadora, porem, tem que ser sempre de verdade e com muita qualidade.

  4. […] que tive com meus professores na época de TCC era buscar referências (ou a senhora inspiração leia aqui) naquilo que me atraía a atenção e que acreditava que era o tipo de linguagem que tinha a ver […]

  5. […] Inspiração: uma palavrinha que todo mundo distorce […]

  6. […] aquareladas de minha autoria sendo a ideia principal do look, que no caso, irá mostrar todas as inspirações: ideias que me remeteram a criar o look, ou seja, os elementos que fazem parte de um painel […]

  7. […] mole, elástico na borda e miolo pautado ou sem pauta. Caiu na graça do povo, todo sketchbook é “inspirado” por um Moleskine e possuem agora essa característica em todo canto que tu vai. Marcas que possuem […]

  8. […] adiantar e ajudar pessoas que estão entrando para essa área da arte em que pessoas vivem buscando “inspiração”, referências e o algumas artes free para usar bem como entender, como também não vai resolver […]

  9. […] 2) Faça com amor. Se dedique! Faça o seu blog porque VOCÊ quer. Não encuque se pessoas virão te criticar, se vai ter retorno logo no começo. Pessoas virão te criticar sempre, na vida: saiba lidar. E não, não vai ter retorno logo de cara.. Deixe fluir… ♥ Deixa acontecer. Fique feliz que você está se presenteando: o blog é seu, você faz dele o que quiser, você escreve nele o que quiser, você expressa sua vida nele do seu jeito. Veja bem: do seu jeito. Lá em cima que eu disse para analisar é para levar como base e não copiar. Eu falei esses dias sobre inspiração aqui ó. […]

  10. muito bacana o teu post. 🙂 realmente, a questão da inspiração ainda é meio confusa para alguns… “o painel semântico” é uma ótima dica mesmo. E Lindsey Stirling é tudo de bom! <3

    Riscos e Rabiscos

    1. Painel semântico salva vidas! 😀
      Lindsey vicia! hahaha

  11. Que massa essa garota q mistura ilustração com bordado…. Já tinha visto coisa parecida mas não nesse nível de incrível!
    Liliana postado recentemente…Lila por LilaMy Profile

    1. Siim!
      Isso varia de acordo com o seu processo criativo.
      Dá pra misturar muita coisa legal com ilustração! <3
      Vale a pena tentar tudo o que der! E testar para conseguir resultados legais :3

Deixe uma resposta

CommentLuv badge